Sinistralidade em Planos de Saúde: importância e influência no preço

Sinistralidade em Planos de Saúde: importância e influência no preço

A Sinistralidade é a soma de todos os sinistros em um Plano de Saúde. Pode ter ficado mais confuso ainda né?

O que é Sinistralidade? O que é um Sinistro? Qual a influência disso no meu plano de saúde?

Todas essas dúvidas são importantes e relevantes para um entendimento completo de Planos de Saúde, isso porque é um assunto com influência direta em preços e qualidade de serviços. 

 

Neste artigo nós vamos explicar tudo sobre o assunto, vem com a gente!

 

O que é Sinistralidade?

A sinistralidade é a soma de toda a utilização de um plano de saúde. Ou seja, desde um simples exame, até a cirurgia mais complexa, todos os procedimentos geram custos. 

A soma desses custos é a chamada sinistralidade.

O que é um Sinistro?

O sinistro é todo procedimento feito pelo plano, uma consulta, um exame, uma internação, uma cirurgia… Toda e qualquer utilização de serviços através do Plano de Saúde gera um sinistro. A soma dos sinistros ou seja, dos custos, é a chamada sinistralidade.

Os sinistros tem custos variados de acordo com cada procedimento realizado.

Sinistro também é um nome utilizado para outros ramos de Seguros. Quando você bate o carro, por exemplo, e aciona a Seguradora, isso é considerado um sinistro.

 

Cada operadora de plano de saúde possui uma tabela em que quantifica o preço de cada sinistro. Esse é o valor repassado por ela para médicos, consultórios ou hospitais em caso de serviços realizados nas redes credenciadas. 

 

Como os sinistros influenciam nos preços de planos de saúde

O maior componente do preço do plano de saúde é o custo que ele tem para quem vai operar. 

Por exemplo: se eu vendo um plano de saúde individual para uma pessoa de 27 anos, eu espero que ela tenha um custo “X” de utilização, variando entre consultas, exames, internação e cirurgia. 

Diante do custo, eu calculo o preço que vou cobrar deste cliente para que eu possa ter lucro e também para que meu produto seja atrativo para o mercado consumidor.

Então, fazendo uma correlação o preço do plano de saúde é afetado diretamente pela sinistralidade. Esse preço é calculado com base em históricos de sinistros e previsão futura.

Vale ressaltar que a meta de sinistralidade, onde pessoas podem ter acesso a bons serviços de saúde é de 70%.

Como a sinistralidade influencia no reajuste dos planos de saúde

Existe uma relação clara e direta entre sinistralidade e reajuste de planos de saúde, inclusive a sinistralidade é um dos itens presentes no cálculo dos reajustes dos planos.

Quanto maior a sinistralidade, maior os reajustes de planos de saúde.

Isso acontece com o objetivo de dar equilíbrio aos contratos de planos de saúde, se você teve muitos sinistros e gerou um alto custo, você em tese receberá um reajuste maior.

Mas claro que visando dar maior proteção aos consumidores, não são analisados sinistros de grupos pequenos como empresas até 99 vidas, ou pessoas físicas. Porque isso poderia gerar reajustes absurdos.

As operadoras tentam através de várias formas controlar a sinistralidade. Assim, duas práticas muito comuns são a Coparticipação e as Carências.

Vamos ver abaixo uma série de práticas que infelizmente são realizadas por muita gente, que elevam a sinistralidade e consequentemente os preços dos planos de saúde.

2 Práticas negativas dos beneficiários de planos de saúde que elevam a sinistralidade

  1. Fazer exames e consultas desnecessariamente. Tem gente que realiza exames e nem pega os resultados, melhor não fazer o exame né? Isso encarece o preço pra todo mundo.
  2. Emprestar carteirinha. Incrível, mas ainda hoje tem gente que empresta carteirinha do plano. É possível que futuramente tecnologias como biometria e reconhecimento facial cessem essa má conduta, que além de elevar o preço por conta do aumento do custo, é crime de falsidade ideológica.

 

Como diminuir a sinistralidade do plano de saúde empresarial

Para diminuir a sinistralidade dos planos de saúde coletivos empresariais, podem ser tomadas as seguintes atitudes:

  1. Propor no ambiente empresarial palestras de conscientização a respeito do uso equilibrado do plano de saúde;
  2. Implantar a Coparticipação no plano da empresa. Infelizmente, muitas pessoas só mudam quando mexe no bolso e a Coparticipação é um excelente regulador de sinistros.
  3. O RH pode se reunir com funcionários que estão fazendo mais consultas e exames para entender o que está acontecendo, se é necessário ou não e avaliar.

Ressalto que o Plano de Saúde é para ser utilizado e uma alta sinistralidade pode ser por conta de uma doença grave. Nestes casos, não importa a sinistralidade, mas sim, a saúde do beneficiário!

 

Abaixo, temos um vídeo com o especialista em Planos de Saúde, professor da Escola Nacional de Seguros e Diretor da Anubis Corretora de Seguros, Gelásio Souza, explicando o que é Sinistralidade:

 

A sinistralidade pode e deve ser reduzida caso o plano esteja sendo usado de maneira desnecessária. Mas nos outros casos, abuse e use!

Esperamos que tenha entendido o que é sinistralidade, sinistro e como tudo isso influencia nos planos de saúde. 

Caso ainda tenha alguma dúvida sobre planos de saúde, não hesite e fale com um especialista!

 

pt_BRPortuguese
pt_BRPortuguese