Plano de Saúde: o Guia Completo com TODAS as informações que você precisa saber

Plano de Saúde: o Guia Completo com TODAS as informações que você precisa saber

Um assunto que gera muita dúvida aos brasileiros é Plano de Saúde. Isso porque é um serviço que não pode faltar em nossas vidas. E além disso, geralmente é algo que nos faz gastar bastante dinheiro.

Para se ter uma ideia, em uma pesquisa realizada pelo IBOPE, a pedido do IESS (Instituto de Estudos de Saúde Suplementar) foi constatado que Plano de Saúde é o terceiro maior desejo dos brasileiros. Perde apenas para Educação e Casa Própria.

Essa preocupação latente com a saúde é algo importante para uma sociedade. É sinal de que as pessoas querem viver bem, querem ter qualidade de vida e longevidade.

Neste super guia, vamos tratar tudo sobre Planos de Saúde, para que você tenha uma visão completa do assunto. Para que possa conhecer desde a história dos planos de saúde no Brasil, até a estrutura que temos hoje.

Com todas as especificidades dos planos e melhores possibilidades do mercado.

Passaremos pelo seguinte roteiro:

  • Conceito de Saúde
  • O que é Rede Credenciada e sua influência no preço dos planos de saúde
  • Coberturas de um Plano de Saúde – Rol da ANS
  • Segmentação de Coberturas por modalidade de Plano de Saúde
  • O que é e como funciona a Coparticipação
  • Carências em Planos de Saúde
  • Tipos de Planos de Saúde
  • Sinistralidade
  • Reajuste de Planos de Saúde
  • 4 Motivos que justificam a dificuldade de se ter um Plano de Saúde Barato

 

Conceito de Saúde

Segundo a Organização Mundial de Saúde (OMS), Saúde é: um estado de completo bem-estar físico, mental e social. Não se restringindo apenas à ausência de doenças ou enfermidades.

Ou seja, Saúde vai muito além de estar apenas sem doenças, envolve estar bem, fisicamente e mentalmente também.

 

Saúde no Brasil

No Brasil, de acordo com o artigo 196 da Constituição de 1988 a Saúde é um direito de todos e um dever do Estado. No entanto, a ineficácia desse serviço público veio historicamente abrindo brechas para que a iniciativa privada venha a cumprir esse papel.

Desta forma, os Planos de Saúde surgem como uma alternativa para que as pessoas tenham serviços médico-hospitalares de qualidade. Entretanto, esse serviço tem um preço elevado.

 

Quanto custa um Plano de Saúde?

Esse é um ponto que é impossível avaliar sem conhecer o cenário em questão. Isso porque Plano de Saúde é um tema que tem diversas variáveis, que começam na idade, passa pelo tipo de contratação e vai até a qualidade do produto.

Para se ter uma ideia, os preços podem começar em cerca de R$150,00 em convênios médicos mais baratos, indo até R$8.000,00 para planos de saúde mais complexos.

Até por isso, indico a consultoria da Anubis Corretora de Seguros que é especialista no assunto.

O custo do Plano de Saúde está intimamente relacionado com a Rede Credenciada, Coparticipação e Sinistralidade, temas que também vamos abordar aqui neste artigo, é claro!

Direitos e Deveres dos Planos de Saúde

Diante do crescimento do mercado de Planos de Saúde, em decorrência das más condições de serviço de saúde pública, houve a necessidade de se regulamentar o setor. 

Assim, a ANS(Agência Nacional de Saúde) criou a lei nº 9.656/98, a Lei dos Planos de Saúde, que determina todo o regimento legal com itens como:

  • Prazos de Carência 
  • Reembolso 
  • Rede Credenciada 
  • Coberturas

E tudo que se refere ao Planos de Saúde, para que existam regras no uso do serviço e ninguém seja prejudicado.

Já pensou se as operadoras de saúde escolhessem as coberturas dos planos comercializados?

Isso geraria uma confusão e um mal estar muito grande. Imagine quase que toda a população não possui conhecimento em medicina para definir se o conjunto de coberturas está satisfatorio não, o que falta ou deixa de faltar. Existiriam problemas graves e processos juridicos, o cenário regulamentado já é complexo, imagine se não fosse…

Por isso, a ANS definiu as coberturas básicas que um plano deve oferecer, tentando buscar um meio termo, entre o rentável para as operadoras e um bom serviço para os consumidores finais.

Dentre as regras estabelecidas pelo órgão público, estão as regras referentes à rede de atendimentou, ou rede credenciada.

O que é Rede Credenciada e sua influência no preço dos planos de saúde

A Rede Credenciada representa o conjunto de hospitais, laboratórios e clínicas disponibilizados ao cliente que comprou um plano de saúde. 

De uma maneira geral, a rede credenciada influencia muito no preço do produto, se você tiver acesso aos melhores hospitais da cidade, por exemplo, tende a pagar mais caro pelo seu Plano de Saúde

Sendo assim, na hora de escolher um plano de saúde é necessário avaliar sempre qual o melhor custo-benefício do mercado. Qual possibilidade que melhor se encaixa no seu perfil. 

Nem sempre o mais caro é o melhor, nem sempre o mais barato é o pior.

A Rede Credenciada deve estar de acordo com a abrangencia geográfica do plano escolhido.

Você pode saber tudo sobre Rede Credenciada através do link

 

Acomodação nos Hospitais: Enfermaria ou Apartamento

Na hora de escolher qual o Plano de Saúde ideal, você também deve levar em consideração qual tipo de acomodação mais vai se encaixar no seu perfil. Enfermaria ou Apartamento.

Enfermaria: é o tipo de acomodação em que o beneficiário fica em quarto coletivo com até quatro leitos. 

Nesta modalidade, o cliente tem menor privacidade, já que tem que dividir quarto com outros pacientes.

Apartamento: quem optar pela acomodação em apartamento, terá maior privacidade por estar em um quarto exclusivo, geralmente o espaço para acompanhantes é melhor. 

Mas vale ressaltar que quanto ao atendimento e serviço, o padrão não varia com a acomodação.

A depender da sua necessidade, você deverá decidir se enfermaria ou apartamento. Se optar por comodidade, a acomodação será em apartamento, no entanto, essa é a opção mais cara.

Regras de Acompanhantes em hospitais

É permitida a entrada de acompanhantes no hospital para pacientes com até dezoito anos, com mais de sessenta anos ou deficientes. Neste caso, os acompanhantes têm direito a alimentação paga pelo próprio hospital. 

 

Abrangência Geográfica no Plano de Saúde

Ao escolher o Plano de Saúde ideal para você, é necessário ficar atento para a área em que o seu produto vai lhe oferecer atendimento. 

Exemplo: para uma pessoa que gosta muito de viajar pelo país ou necessita viajar a trabalho, vale a pena ter um plano de saúde com abrangência nacional. Ou seja, um plano que oferece cobertura para todo o país. 

Confira abaixo, todas as modalidades de abrangência dos Planos de Saúde:

  • Nacional: Cobertura de atendimento em todo o país
  • Grupo de Estados: O plano oferece cobertura para um grupo de Estados aos quais, possui rede credenciada.
  • Estadual: Plano com abrangência apenas no Estado de contratação do produto.
  • Grupo de Municípios: O produto deverá cobrir atendimentos em apenas alguns municípios de um determinado Estado.
  • Municipal: É  um Plano de Saúde que tem abrangência de atendimento apenas para a cidade em questão.

É importante salientar que o atendimento fora da área de cobertura não é de responsabilidade da operadora. Logo, se você tem um plano que oferece atendimento apenas na sua cidade, você não poderá ser atendido fora do seu município.

Rol de procedimentos da ANS

Dentro da regulação e da Lei dos Planos de Saúde, existe um padrão de coberturas de serviços médico-hospitalares garantidos pela Agência Nacional de Saúde (ANS). Este é o chamado Rol da ANS.

Coberturas de um Plano de Saúde

  • Assistência médico-ambulatorial e/ou  hospitalar, compreendendo partos e tratamentos realizados no Brasil.
  • Padrão de acomodação em enfermaria ou apartamento
  • UTI ou similar, quando necessária a internação hospitalar. Seguindo o padrão das doenças listadas na Classificação Estatística Internacional de Doenças e problemas Relacionados com a Saúde da OMS – Código Internacional de Doença 10

Ou seja: em qualquer situação de urgência e emergência, é obrigatório por lei, que o cliente seja atendido.

Todas as coberturas e procedimentos garantidos são estabelecidos pelo ROL de procedimentos da ANS. Este ROL tem como objetivo dar padrão aos Planos de Saúde e cabe às detentoras dos produtos, oferecerem serviços adicionais, caso seja de interesse.

Confira abaixo alguns procedimentos cobertos pelos planos de saúde:

Confira abaixo algumas coberturas inseridas no Rol de Procedimentos da ANS:

  • Psicologia – 40 sessões ano
  • Fonoaudiologia – até 24 sessões ano
  • Terapia ocupacional –  40 Sessões ano
  • Nutricionista – até 12 sessões ano

As solicitações podem ser feitas por médicos de qualquer especialidade

Transplantes

O Rol de procedimentos também oferece cobertura para transplantes:

  • Rim
  • Córnea
  • Autólogos
  • Medula óssea

Coberturas não obrigatórias de um Plano de Saúde

É importante saber que as operadoras podem incluir nos seus produtos, coberturas agregadas, com serviços adicionais não obrigatórios. Esta é uma forma de se diferenciar e gerar valor aos seus clientes, ganhar competitividade no mercado e alcançar mais vendas. Entre alguns produtos agregados oferecidos, podemos destacar os seguintes:

  • Homecare 
  • Transporte aeroterrestre
  • Seguro remissão
  • Auxílio funeral

Caso a operadora ofereça o serviço de Internação Domiciliar, é necessário que esse serviço esteja regularizado dentro dos padrões da ANS.

Procedimentos e serviços não cobertos pelo Plano de Saúde

Existe uma série de coberturas e procedimentos que os Planos de Saúde não são obrigados a oferecer. Você pode verificar se o produto que você quer adquirir tem a determinada cobertura como serviço adicional, mas saiba que este não é o padrão.

Confira abaixo itens que os Planos de Saúde não são obrigados a oferecer aos clientes:

  • Tratamento clínico ou cirúrgico experimental.
  • Procedimentos clínicos ou cirúrgicos para fins estéticos; Órteses e próteses para fins estéticos.
  • Tratamento de rejuvenescimento ou de emagrecimento com finalidade estética.
  • Fornecimento de medicamento importado não nacionalizado.
  • Fornecimento de medicamento para tratamento domiciliar.
  • Fornecimento de próteses, órteses e seus acessórios não ligados ao ato cirúrgico.
  • Tratamentos ilícitos ou antiéticos ou não reconhecidos pelas autoridades.
  • Casos de cataclismos, guerras e comoções internas. 

Tempo limite para atendimento através do Plano de Saúde (por especialidade)

A Agência Nacional de Saúde (ANS), estabelece que os produtos de Plano de Saúde devem atender os beneficiários dentro da Rede Credenciada com limites máximos de datas para atendimento de acordo com o explicado abaixo:

  • Consulta básica em pediatria, Clínica médica, ginecologia e obstetrícia – 7 Dias úteis.
  • Demais consultas – 14 dias úteis
  • Fonoaudiologia, Nutricionista, Psicólogo, Terapeuta ocupacional e fisioterapia – 10 dias úteis
  • Consultas e procedimentos realizados em consultório – 7 dias úteis
  • Serviços de diagnósticos de laboratório – 3 dias úteis 
  • Demais serviços de diagnóstico ambulatoriais – 10 dias úteis
  • Alta complexidade – 21 dias úteis
  • Hospital dia – 10 dias úteis
  • Internação eletiva – 21 dias úteis
  • Urgência e emergência – Imediato

É de extrema relevância saber que caso a operadora do seu plano de saúde não ofereça uma cobertura obrigatória em sua rede credenciada, ela é obrigada a pagar pelo serviço em um local fora da sua rede. 

Não é comum isso acontecer, mas é importante estar atento.

As coberturas dos planos de saúde são sempre atualizadas e este é um tema que contribui bastante para a elevada precificação do serviço. A inclusão de serviços com tecnologias de ponta elevam os custos e a sinistralidade. O que torna o convênio médico mais caro.

Além disso, os atendimentos na área médica e hospitalar podem ser segmentados por área. Ambulatorial e Hospitalar, uma mais focada no setor de consultas e o segundo, mais focado em Urgências e Emergências.

Segmentação de Coberturas por modalidade de Plano de Saúde

A Segmentação de Coberturas é uma divisão entre áreas de atendimento dos Planos de Saúde:  Ambulatorial, Hospitalar e Atendimento Hospitalar com Cobertura para Procedimentos de Obstetrícia e atendimento ambulatorial e Hospitalar com o sem obstetrícia. 

Desta forma, a Agência Nacional de Saúde permitiu que as empresas criassem alternativas de Planos de Saúde com coberturas fragmentadas. Ou seja, você pode ter um Plano de Saúde Ambulatorial, que exclui a cobertura para atendimento hospitalar.

Mas vale ressaltar que o Plano de Saúde, por assim dizer, é completo e engloba todas as coberturas.

Isso foi feito para que pessoas pudessem ter uma maior liberdade e ter um plano que se encaixe melhor no seu perfil. As vezes a pessoa está em um Plano de Saúde completo e não está conseguindo pagar.

Entretanto, vale ressaltar que um Plano de Saúde completo salva pessoas em todas as ocasiões.

Plano de Saúde Ambulatorial

O Atendimento Ambulatorial cobre atendimentos realizados em consultório ou em ambulatório, listados no Rol, inclusive em caso de pré-natal.

Por outro lado, o Atendimento Ambulatorial não inclui internação ou procedimentos para fins de diagnóstico ou terapia que, embora prescindam de internação, demandem estrutura hospitalar por mais de 12 horas. Ou serviços de terapia intensiva e similares, observadas algumas das principais exigências:

  • Serviços de apoio diagnóstico, tratamento e demais procedimentos cirúrgicos ambulatoriais;
  • Cobertura dos procedimentos de reeducação e reabilitação física listados no rol de procedimentos. Que podem ser realizados por um fisiatra ou fisioterapeuta, em número ilimitado de sessões por ano. 
  • Cobertura de atendimentos de urgência e emergência, conforme regulamentação específica sobre o tema.
  • Cobertura de consulta e sessões com nutricionistas, fono, terapeuta ocupacional e nutrólogo e psicoterapia.
  • Cobertura de remoção, após os atendimentos classificados como urgência e emergência, quando caracterizado pelo médico assistente, a falta de recursos oferecidos pela unidade para a continuidade do atendimento ao paciente, ou pela necessidade de internação. 

Plano de Saúde Hospitalar

O atendimento do plano de saúde hospitalar compreende os atendimentos realizados em todas as modalidades de Internação Hospitalar e os caracterizados como urgência e emergência. Não incluindo atendimento ambulatorial para fins de diagnóstico, terapia ou recuperação.

  • Cobertura em número ilimitado de dias, de todas as modalidades de internação hospitalar.
  • Cobertura de hospital dia para transtornos mentais, de acordo com as diretrizes de utilização estabelecidas em regulação específica.
  • Cobertura de transplantes.
  • Coberturas de órteses e próteses ligadas aos atos cirúrgicos listados no rol. 
  • Cobertura de cirurgias bucomaxilofaciais que necessitem de ambiente hospitalar, incluindo o fornecimento de medicamentos, anestésicos, gases medicinais, transfusões, assistência de enfermagem e alimentação ministrados durante o período de internação.

Planos de Saúde com ou sem Obstetrícia

A cobertura para Obstetrícia está relacionada aos procedimentos relativos ao pré-natal, da assistência ao parto e puerpério, observadas as seguintes exigências:

  • Cobertura das despesas, indicada pelo médico assistente e legislação, relativas a uma acompanhante durante o parto, parto e pós-parto imediato, conforme assegura a lei 11.108 de 07.04.2005.
  • Cobertura assistencial ao recém-nascido, filho natural ou adotivo do consumidor, ou de seu dependente, durante os primeiros 30(trinta) dias após o parto;
  • Opção de inscrição assegurada ao recém-nascido, filho natural ou adotivo do consumidor, como dependente, isento do cumprimento de carência, desde que a inscrição ocorra no prazo máximo de 30 dias do nascimento ou adoção.

Se você tiver alguma dúvida com relação a Plano de Saúde para Criança, clique aqui.

A Obstetrícia pode ou não ser agregada ao Plano de Saúde Hospitalar.

Combinações de Coberturas

Todas estas informações referentes à segmentações de coberturas foram passadas porque ainda hoje existem planos fragmentados, Planos de Saúde Ambulatoriais, ou Planos de Saúde apenas Hospitalar.

Confira abaixo as possíveis comunicações de coberturas em um plano:

 

Segmentações Consultas Exames Procedimentos Ambulatoriais Internações Partos
Plano de Saúde

Completo

X X X X X
Ambulatorial + Hospitalar sem Obstetrícia X X X X
Ambulatorial X X X
Hospitalar sem Obstetrícia X
Hospitalar com Obstetrícia X X

Você poderá perceber que na maioria absoluta dos casos, você apenas precisará de atendimento ambulatorial, como consultas e exames. 

Surge o seguinte questionamento: vale a pena então ter um plano que seja somente ambulatorial?

Depende da sua demanda.

Entretanto, por mais que na maioria dos casos, você utilize o atendimento ambulatorial do seu plano, realizando consultas e exames. O atendimento hospitalar cobre as questões mais graves de saúde. 

Vale ressaltar que na maior parte dos casos, é importante ter um Plano de Saúde Completo.

Além disso, o atendimento hospitalar particular é muito caro. Em um casos de UTI ( Unidade de Terapia Intensiva) por exemplo, a despesa com hospital chega a passar de um milhão de reais.

 

Urgência e Emergência

De uma maneira geral, Urgência é tudo aquilo que pode esperar e Emergência é tudo aquilo que  NÃO pode esperar.

Segue abaixo alguns exemplos de urgência e emergência para facilitar o seu entendimento:

Urgência:

  • Acidentes pessoais

Evento ocorrido em data específica provocado por agente externo, súbito e involuntário e causadores de lesões físicas ou não, decorrentes de problemas de saúde. Por exemplo, acidentes de carro, quedas e inalação a gases.

  • Complicações na gestação

Alterações patológicas durante a gestação. Como: Gravidez tubária, eclâmpsia, parto prematuro, diabetes e abortamento. 

Emergência:

Infarto, Parada Cardiorrespiratória, Acidente Vascular Cerebral.

  • São as situações que implicam em risco imediato de vida ou lesões irreparáveis para o paciente, caracterizados pelo médico.

Nos hospitais, os pacientes logo que chegam, passam por triagem e diante disso, é definida uma cor referente ao “estado” de saúde do paciente. As cores servem para definir a ordem de prioridade nos hospitais, onde Emergência tem a cor vermelha e é a maior prioridade de todas.

A triagem por cores foi definida através do Protocolo de Manchester.

Reembolso nos Planos de Saúde

O Reembolso acontece quando o beneficiário utiliza serviços fora da Rede Credenciada. Este poderá ser ressarcido financeiramente de acordo com uma tabela especificada pela Operadora.

Exemplo: o beneficiário optou por ir a um médico fora da Rede Credenciada com o valor de R$300,00 a consulta, no entanto o reembolso é de apenas R$200,00. Nesse caso, o beneficiário irá recuperar apenas uma parte do valor gasto.

É importante ressaltar que a Operadora em hipótese alguma fará um Reembolso maior do que a tabela.

Você leitor, também deve saber que a Operadora não irá fazer um reembolso maior do que o preço da consulta ou serviço.

 Por exemplo: você foi a um médico que custou R$60,00 a consulta e a tabela tem o valor de Reembolso igual a R$100,00. Nesse caso, o valor do reembolso será de R$60,00.

 

O que é e como funciona a Coparticipação

A Coparticipação no Plano de Saúde significa que, o usuário tem que pagar uma parte do que consome no ambiente ambulatorial. Este valor pode ser percentual ao valor do evento ou também um valor fixo.

Exemplo de coparticipação: Para uma consulta de R$100,00, 20% de coparticipação, significa que o consumidor irá pagar R$20,00.

Esse foi um mecanismo criado pelas operadoras de Planos de Saúde para moderar o consumo desnecessário. Estatísticas comprovam que a coparticipação reduz em até 30%, o consumo ambulatorial.

Você pode saber tudo sobre Coparticipação através do artigo:

Coparticipação nos Planos de Saúde: o que é e para que serve?

Carências em Planos de Saúde

A Carência é o período que se inicia no primeiro dia da vigência do contrato, até o momento em que o consumo de todo ou parte dos serviços são liberados.

Por exemplo: uma mulher não pode comprar um Plano de Saúde hoje e ter um filho com parto realizado pelo Plano no mês seguinte, no caso de gravidez, o tempo de carência são de dez meses. 

Ou seja: para que uma mulher possa realizar seu parto pelo Plano de Saúde, é necessário que ela tenha esse Plano há pelo menos dez meses.

As carências foram criadas para evitar que os planos de saúde somente fossem adquiridos a partir da necessidade do consumo. E não como prevenção ou dentro de um planejamento adequado por pessoas físicas ou jurídicas.

A ANS estabeleceu os períodos máximos de carência em cada procedimento, logo nenhuma operadora pode ter uma carência maior que essa.

Entenda quais são as Carências estabelecidas pela Agência Nacional de Saúde:

  • 24 Horas em caso de Urgência e Emergência.
  • 300 Dias para partos a termo.
  • 180 Dias para outras ocasiões.

Em médias as carências praticadas no mercado são as seguintes:

  • 24 horas para urgências e emergências*, ver especificações
  • 30 dias para consultas e exames simples
  • 90 dias para exames de médias complexidade
  • 180 dias para exames de alta complexidade, como ressonância magnética e cirurgias eletivas
  • 300 dias para parto

Você pode saber mais sobre Carências lendo o artigo:

Carências em Planos de Saúde: confira tudo sobre o assunto

Declaração de Saúde

A Declaração de Saúde é um formulário que deve ser preenchido pela pessoa que vai adquirir o Plano de Saúde.

Este documento serve para que o beneficiário “apresente” o seu estado de saúde para a operadora. Desta forma, é possível identificar possíveis CPTs. E a operadora pode conhecer melhor o perfil do seu futuro cliente.

Cobertura Parcial Temporária (CPT)

A CPT é o período de 2 anos em que um beneficiário não pode tratar uma doença pré-existente pelo Plano de Saúde. 

Desta forma, uma pessoa que já possui uma doença, não pode realizar cirurgia pelo plano para cura ou tratamento da enfermidade dentro de um período de dois anos. No entanto neste período de CPT, ainda podem ser realizados consultas e exames relacionados à doença pré-existente.

 

Portabilidade de planos de saúde

Ao mudar de Operadora de Plano de Saúde, os beneficiários têm direito de levar consigo as carências já cumpridas, de acordo com as regras da Lei 9656/98 e suas respectivas RN(Resoluções Normativas)

Você pode saber como fazer a portabilidade de planos de saúde através do artigo:

Portabilidade de Planos de Saúde: como mudar de plano sem Carências

Inscrição de filhos como dependentes

O filho natural ou adotivo do titular não pega carência se inscritos até 30 dias do nascimento ou adoção. 

É assegurado, independentemente do plano, a inscrição do filho adotivo menor de 12 anos, aproveitando as carências já cumpridas pelo titular.

 

Tipos de Planos de Saúde

Os planos de saúde podem ser contratados de algumas formas que variam de acordo com a necessidade e possibilidade do cliente. 

Veja abaixo os tipos de contratação e como funciona cada um destes:

Plano de Saúde Individual

O Plano de Saúde Individual é o tipo de plano com menor burocracia para adesão. Qualquer pessoa pode ter uma Plano de Saúde Individual. Basta ter uma operadora que ofereça na região de interesse.

Essa é uma modalidade que possui poucas opções para o consumidor no mercado. Claro que a quantidade de opções é algo que varia a cada região do Brasil. No entanto, isso se deve a toda uma crise na conjuntura de saúde do país.

Os planos individuais, assim como quaisquer outros, podem ter ou não a coparticipação, depende do plano escolhido.

Este plano também está sujeito à Carências e CPT. Exceto em casos de Portabilidade.

Plano de Saúde Coletivo por Adesão

o Plano de Saúde Coletivo por Adesão é um plano de saúde que pode ser adquirido por pessoas que pertençam a determinado grupo, como Sindicato, Associações, Conselhos Profissionais. É importante saber que apesar de ser um Plano de Saúde contratado por pessoas físicas, NÃO é um Plano Individual.

Desta forma, uma pessoa que tem um Plano de Saúde Coletivo por Adesão tem o seu produto atrelado a uma entidade, por exemplo: a OAB. 

A Operadora do plano, tem legitimidade para rescindir o contrato depois de doze meses com a entidade, dando aviso prévio de sessenta dias. E nesse caso, os beneficiários correm o risco de ficar sem Plano de Saúde, o que gera certa incerteza nos Planos Coletivos por Adesão.

O reajuste costuma ser maior que dos Planos Individuais. Você também deve ficar atento à data de reajuste, para não mudar a sua mensalidade logo após a contratação do Plano.

Plano de Saúde Coletivo Empresarial

O Plano de Saúde Empresarial oferece cobertura à população delimitada e vinculada à Pessoa Jurídica com relação empregatícia ou estatutária e a seus respectivos dependentes.

Essa modalidade é muito utlizada por famílias que possuem pequenas e médias empresas, pois fica mais barato fazer um Plano de Saúde Familiar.

Além disso, o Plano de Saúde Corporativo pode ser uma ótima maneira de levar benefícios aos colaboradores e isso é uma tendência de grandes empresas.

Quer ver? Pense rapidamente em 3 empresas grandes que você conhece. Acredito muito que todas as três corporações que você pensou, oferecem o Plano de Saúde como benefício!

O vínculo à PJ poderá abranger ainda, desde que previsto em contrato: 

  • Os sócios;
  • Os administradores;
  • Os demitidos ou aposentados;
  • Os agentes políticos;
  • Os trabalhadores temporários;
  • Os estagiários e menores aprendizes; e
  • O grupo familiar até o terceiro grau de parentesco consanguíneo, até o segundo grau de parentesco por afinidade, cônjuge ou companheiro dos empregados e servidores públicos. Bem como dos demais vínculos dos incisos anteriores. 

Demitidos e Aposentados

A empresa que trabalha com contrato de Plano de Saúde contributivo, deve oferecer a opção de continuidade no contrato para aqueles que forem demitidos sem justa causa. O colaborador que foi demitido terá o direito de continuar no plano por um determinado período de tempo.

O mesmo vale para aqueles que se aposentarem.

Essas regras foram reforçadas pela RN279.

Você pode saber tudo sobre a situação de Demitidos e Aposentados no Plano de Saúde Empresarial através do link.

IMPORTANTE NOS PLANOS COLETIVOS EMPRESARIAIS:

Uma Operadora que cancela o plano coletivo empresarial é obrigada a oferecer aos seus beneficiários e respectivos dependentes,Plano de Saúde individual com aproveitamento de carências já cumpridas;

    • Esta obrigação somente existe para as operadoras com planos individual e familiar.
    • Para não ter carências, os beneficiários devem optar pelo Plano Individual com no máximo em 30 dias após o cancelamento.

Compete à empresa contratante do plano informar aos colaboradores em tempo hábil.

Plano de Saúde para MEI

Também uma dúvida importante quando se fala em Plano de Saúde Empresarial é se MEI pode contratar essa modalidade. E a resposta é SIM.

Tendo em vista que um MEI também é uma empresa, com CNPJ, mas é claro que a empresa deve estar totalmente regularizada. Também devem ser atendidos os requisitos mínimos de contrato, tais como o número mínimo de vidas de cada operadora.

Uma MEI também pode ter um colaborador e este pode entrar no plano, ou o CNPJ pode ser usado apenas para fazer o Plano de Saúde do dono da MEI e de sua família.

Você pode saber tudo sobre Plano de Saúde para MEI clicando aqui!

Ocasiões em que Planos de Saúde são mais buscados

Um fato é que todo mundo precisa ter um bom plano de saúde, como foi abordado anteriormente, essa é de fato uma necessidade. Porém, existem algumas ocasiões em que é mais normal a busca por este serviço.

São as seguintes ocasiões:

Plano de Saúde Familiar

Apesar de não ser uma modalidade específica, o Plano de Saúde Familiar é algo requisitado por muita gente.

Este plano pode ser feito através de um Plano de Saúde Individual ou Coletivo por Adesão, em que o responsável pela família, entra como titular e a família como dependente.

Ou também pode ser feito um Plano de Saúde Familiar através do tipo Coletivo Empresarial, neste caso será utilizado o CNPJ de alguém da família para firmar o contrato.

Por ser mais barato, é comum utilizar o cadastro da empresa da família para fazer o plano. Podendo ser um Plano de Saúde MEI, ou CNPJ normal de empresa mesmo!

Quando a família não possui uma empresa disponível, vale buscar as outras possibilidades.

Plano de Saúde para Gestante

Esta também não é considerada uma modalidade de plano de saúde, mas em se tratando de uma dúvida para muitas pessoas, vamos abordar o assunto aqui no artigo.

O Plano de Saúde para Gestante pode ser feito através dos três tipos de plano, individual, coletivo empresarial e coletivo por adesão. Existem dois pontos que você deve ficar muito atento caso tenha interesse em plano de saúde para gestante. São estes:

  • Atenção à Rede Credenciada, o foco de um plano para gestante em tese é o parto do bebê. Esse ponto é importante porque o plano escolhido deve oferecer atendimento no hospital de interesse, no hospital que a mãe deseja ter seu filho.
  • Atenção às Carências: as carências para parto estabelecidas pela ANS são de 10 meses. Não adianta estar grávida e comprar o Plano de Saúde, que você não terá a cobertura imediatamente.

Por último, vale ressaltar que não existe um plano de saúde específico para grávidas, o ideal é focar em um bom produto e respeitar todos os aspectos legais. Até por isso, indicamos a ajuda de um especialista.

Plano de Saúde para Idoso

Se Plano de Saúde é importante para todo mundo, imagine para pessoas com mais de 59 anos.

Plano de Saúde para Idoso é essencial, já que na medida que as pessoas vão ficando mais velhas, é normal ter mais problemas de saúde. E novamente, ninguém quer depender da saúde pública.

Só que se por um lado é perigoso recorrer ao serviço de saúde pública, por outro lado, é inviavel financeiramente utilizar serviços privados de saúde sem ter um plano.

Não tem o que fazer, se todo mundo precisa de um bom plano de saúde, quem é idoso, precisa ainda mais.

O problema é que o preço do plano de saúde aumenta na medida em que as pessoas vão ficando mais velhas, justmaente por conta da maior incidência de doenças e outros problemas. E um plano de saúde para idoso, chega a ter um preço 5x maior do que um plano de saúde para uma criança, por exemplo.

É uma situação difícil, mas que deve ser levada com muita atenção e seriedade. Se você tiver alguma dúvida com relação a isso, fale com um especialista!

Sinistralidade

Sinistro de maneira bem direta é toda utilização do Plano de Saúde, ou seja: um exame de sangue é um Sinistro. Uma consulta com nutricionista é um sinistro e uma cirurgia de alta complexidade também é um sinistro.

O pagamento dos Sinistros se dá entre as Operadoras de Planos de Saúde e os Prestadores de Serviço (consultórios, laboratórios e hospitais). 

A soma de todos os Sinistros é chamada de Sinistralidade e é um indicador de extrema relevância nos Planos de Saúde. Isso porque é a Sinistralidade que baliza a análise entre tudo que a Operadora arrecadou em dinheiro dos seus clientes e tudo que ela gastou em assistência para os seus beneficiários.

Reajuste de Planos de Saúde

Os Planos de Saúde sofrem reajustes anuais, de acordo com cada tipo de Plano (Individual, Coletivo Empresarial e Coletivo por Adesão). 

  • Reajuste nos Planos de Saúde Individuais: o reajuste é definido pela ANS em maio de cada ano, sendo o menor reajuste praticado no mercado. Em 2019 foi de 7,35%
  • Reajuste nos Planos de Saúde Coletivos por Adesão: o reajuste é aplicado para toda a entidade do contrato. Se for uma entidade estudantil, por exemplo, todos os estudantes com plano vinculado ao contrato terão o mesmo reajuste.
  • Reajuste nos Planos de Saúde Coletivos Empresariais: este é realizado de maneira segmentada; para empresas com até 29 vidas, o reajuste é único para toda a carteira da operadora. Empresas com acima de 30 vidas no contrato, tem reajuste particular e negociado diretamente com a operadora.

Você pode saber tudo sobre reajustes de planos de saúde através do artigo:

Além dos reajustes anuais, existem os reajustes por faixa etária. Nos planos em que os preços variam de acordo com a idade do beneficiário, ao mudar de faixa, o preço também é reajustado. Confira abaixo as faixas etárias dos planos de saúde:

  • 0 a 18 anos;
  • 19 a 23 anos;
  • 24 a 28 anos;
  • 29 a 33 anos;
  • 34 a 38 anos;
  • 39 a 43 anos;
  • 44 a 48 anos;
  • 49 a 53 anos;
  • 54 a 58 anos;
  • 59 anos ou mais.

Vale ressaltar que o preço do Plano de Saúde da faixa etária para pessoas com mais de 59 anos não pode ser 6x maior do que o preço do mesmo produto para a faixa de 0 a 18 anos.

Reajuste de Planos de Saúde: entenda como funciona em cada caso

Como conseguir um Plano de Saúde Barato

A procura por um plano de saúde barato e que caiba no orçamento de cada pessoa e cada família é muito justa. Afinal, este não é um serviço simples!

Existem algumas diretrizes e caminhos que podem ser seguidos na busca por um plano de saúde barato, podem ser citados os seguintes pontos:

  • A escolha por um plano que tenha abrangência local.
  • O plano deve ter uma rede credenciada simples e não deve ser muito grande. Quanto maior e mais sofisticada a rede, maior o preço.
  • O plano deve ter Coparticipação. Isso porque os planos com Coparticipação, tem mensalidade mais alta.

Escolha um plano que seja conhecido. Não adianta ter um serviço barato, que te deixe na mão no momento que você mais precisar!

4 Motivos que justificam a dificuldade de se ter um Plano de Saúde Barato

Todo mundo sabe que no Brasil, plano de saúde é um serviço caro. No entanto, existem alguns motivos que justificam este fato:

  1. Inflação Médica é mais alta que outras inflações vistas no mercado.
  2. Envelhecimento da população: quanto mais velha a população, a tendência é que utilize mais serviços de saúde.
  3. Sinistralidade: um sinistro gera um custo para as operadoras, quanto maior a sinistralidade, maior o preço do serviço.
  4. Ampliação de Coberturas no Rol da ANS: o Rol da ANS é sempre atualizado e por conta de novas tecnologias, o rol de procedimentos cresce elevando também os preços dos planos de saúde.

 

4 Operadoras de Plano de Saúde que são referência no Brasil

Unimed

A Unimed representa o maior sistema de coperativas de saúde do mundo. São 345 coperativas espalhadas pelo Brasil.

Somando todas as coperativas do grupo, temos a maior operadora de planos de saúde do Brasil.

Entretanto, vale ressaltar que existe um problema na Unimed relacionado à autonomia das coperativas. Isso faz com que não exista um padrão de preços e qualidade entre as coperativas. Por exemplo, a Unimed de Belo Horizonte é considerado um dos melhores planos de saúde do Brasil, existem outras Unimeds que não deram certo e tiveram que fechar.

Se você quiser ter um plano de saúde da Unimed, vale a pena avaliar como é a coperativa da sua região, ou buscar o plano com abrangência nacional desta operadora.

Amil

A Amil é uma empresa muito grande e já foi considerada a empresa de saúde mais valiosa do Brasil.

Esta empresa conta com mais de 6,2 milhões de beneficiários.

Sem dúvidas é uma grande referência no mercado brasileiro. Mas nem sempre o plano de saúde Amil será o mais indicado, vale estudar o mercado da sua região.

Bradesco Saúde

A Bradesco Saúde é uma empresa antiga e já consolidada no Brasil. Possui rede credenciada muito ampla e com hospitais excelentes em todo o território nacional.

Por conta do serviço de qualidade e acesso aos melhores hospitais, o custo do plano de saúde dessa operadora é alto. Mas sempre é bom levá-lo em consideração na hora da escolha. Isso porque devemos ir sempre pelo caminho do custo-benefício, pode ser que o Bradesco apresente um bom custo-benefício para você, por exemplo. Depende do seu perfil.

Hapvida

A Hapvida é uma empresa brasileira, que teve um crescimento elevado nos últimos anos. Atualmente esta é a maior referência do país em planos de sáude de baixo custo.

O Plano de Saúde Hapvida é barato por conta de uma série de fatores que vão desde uma administração regular e efetiva, até a verticalização da rede credenciada. A Hapvida possui rede credenciada própria, o que permite que esta operadora atinja preços bem acessíveis de venda para a população.

Esta operadora não oferece planos sofisticados, entretanto, pode ser uma boa saída para quem não está conseguindo pagar um plano de saúde que permita acesso a hospitais de ponta.

A Hapvida tem no seu rol de produtos o plano de saúde individual, o que pode ser encarado como um diferencial. Isso porque a maioria das operadoras não disponibilizam esta modalidade de contratação.

 

 

Esperamos que tenha tirado todas as suas dúvidas sobre Planos de Saúde. Caso ainda tenha alguma dúvida sobre o assunto, sugiro que fale com um especialista!

pt_BRPortuguese
pt_BRPortuguese